Westworld cresce e emociona com a narrativa do episódio Kiksuya

Foto: John P. Johnson/HBO

Após apresentar dois novos cenários ao público em episódios anteriores, o Shogun World e o The Raj, a série Westworld (HBO) mostrou mais uma vez que a mudança de cenários não é sua fonte de novidades para a história nesta segunda temporada. Assim como O Enigma da Esfinge, o episódio Kiksuya também se debruçou sobre algo que já fazia parte do primeiro parque. Ou melhor, concentrou-se em alguém que já tínhamos visto antes: Akecheta (Zahn McClarnon).

Pelo relato e pelo olhar dele, conhecemos mais sobre a Ghost Nation (Nação Fantasma), tribo sobre a qual sabíamos pouco até o momento. Também tivemos acesso a elementos que dão novos significados a algumas cenas, por sabermos o que pensava esta testemunha dos acontecimentos, e descobrimos que Dolores (Evan Rachel Wood) não foi a primeira anfitriã a despertar sobre a constituição de sua natureza.

Antes dela, Akecheta já desenvolvia sua memória, sofria as consequências disso e travava uma batalha a seu modo para continuar existindo para além do que determinam as reprogramações feitas nos laboratórios da Delos. Podemos enxergar aí uma referência ao conhecimento ancestral, à sabedoria dos povos indígenas, tantas vezes desprezada em narrativas ditadas pelo colonizador.

Leve o meu coração quando partir

Tudo isso configura um enriquecimento da história da série, mas não se trata do único motivo que faz com que Kiksuya seja um episódio especial. Ao colocar Akecheta em destaque, como narrador de sua trajetória, a série coloca algumas dúvidas na mente do espectador ao mesmo tempo em que emociona. Era contada ali a história da separação forçada de um casal, com a busca de Akecheta por Kohana (Julia Jones) em diferentes vidas, assim como a de um homem que agora protegia uma filha apartada de sua mãe.

Ao mesmo tempo, o destaque para Akecheta e o formato um tanto diferente de outros episódios não fizeram de Kiksuya um corpo estranho em Westworld. A conversa dele com a menina era, também, com Maeve (Thandie Newton) – e algumas cenas mostraram que o guerreiro indígena não rondava a casa das duas com a mesma intenção do Homem de Preto (Ed Harris).

A presença do labirinto foi mais uma ponte com outros núcleos da história e o despertar de Akecheta também foi conectado à rebelião de Dolores (Evan Rachel Wood). Ford (Anthony Hopkins) disse que o anfitrião saberia reunir seu povo e levá-lo para um novo mundo quando o Ceifador fosse até o diretor criativo de Westworld – Ford provavelmente já intuía ou planejava a noite em que os anfitriões surpreenderiam os visitantes. Akecheta e Dolores são duas forças rumou ao Além do Vale.

Um comentário sobre “Westworld cresce e emociona com a narrativa do episódio Kiksuya

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s